Autor:
Categoria:

O lendário formato MP3 está indo para o esquecimento?

O formato MP3 é uma coisa do passado.

O formato MP3 está entrando em esquecimento?

MP3, revolucionário para seu tempo, parece estar se tornando uma relíquia do passado e repetindo o destino de discos de vinil, cassetes de áudio e CDs. Qobuz, um serviço de streaming que está ganhando popularidade no Ocidente, decidiu dizer adeus ao formato mais popular.

Cassete de áudio

Uma oferta tentadora

A plataforma oferece aos usuários ouvir música em CD e Hi-Res sem perda de qualidade. De acordo com um porta-voz do serviço, os MP3s são prejudiciais tanto para os ouvintes quanto para os artistas. E Qobuz defende a cultura do áudio e oferece aos assinantes 40 milhões de faixas de CD e mais de 200.000 álbuns em alta resolução. É de longe a mais completa biblioteca fonográfica para verdadeiros conhecedores.

Qobuz

Até agora, a plataforma está disponível apenas na Europa e na América. As assinaturas têm que ser pagas. Os usuários podem agora aproveitar o acesso ilimitado a uma coleção de músicas de alta qualidade graças à nova oferta do Studio Premier. Até o início da primavera, as assinaturas custam US$ 14,99 por mês.

A partir da história do MP3

O desenvolvimento do formato remonta ao final dos anos 80. A parte principal do trabalho foi feita por funcionários do Instituto Fraunhofer. O desenvolvimento foi baseado no codec experimental ASPEC. O primeiro software a permitir a conversão de música para MP3 é o L3Enc, que surgiu em 1993. Em 1994, o MP3 player Winplay-3 foi colocado à disposição dos usuários.

A idéia subjacente era preservar a qualidade da gravação enquanto reduzia significativamente o volume da gravação. Arquivos de CD não compactados "pesam" 10 vezes mais que os MP3. Sim, o formato "comprime" as informações com perdas. Mas com MP3s, você não precisará usar discos inconvenientes para armazenar suas músicas. O som tornou-se livre com o advento do MP3.

CDs

O formato não foi criado para o ouvido discriminador, mas para as massas. Isto é, para pessoas que preferem ouvir música em aparelhos de som de carros comuns, centros de música, tocadores, etc. Em tais dispositivos, a perda de qualidade é quase imperceptível. A diferença entre MP3s e CDs só pode ser ouvida em unidades caras e de alta qualidade.

O primeiro sinal da "morte" do formato

Em 2017, foi relatado que as patentes relativas ao MP3 não eram mais válidas. Os usuários interpretaram mal a mensagem e pensaram que o formato estava sendo abolido e que todos precisavam urgentemente mudar para o AAC.

Entretanto, era apenas uma questão de empresas e indivíduos poderem usar MP3s para qualquer finalidade sem problemas e não serem penalizados por fazê-lo. Até agora, as patentes em questão eram de propriedade de algumas poucas empresas. O uso do formato sem permissão especial e, portanto, sem royalties, causou muitos problemas.

A Microsoft, por exemplo, pagou US$ 1,5 bilhão à Alcatel-Lucent, que detém a patente, por ordem judicial.

Os titulares de patentes vêm recebendo royalties há mais de 20 anos. O principal beneficiário foi o Instituto Fraunhofer. Acontece que, desde que eles desistiram das enormes receitas lá, a era do MP3 tinha acabado. E o anúncio de Qobuz, juntamente com a oferta de ouvir música em estúdio de qualidade, é o tiro de teste.

MP3 player

No entanto, "o paciente está mais vivo do que morto". Sim, a tendência para os amantes da música preferirem cada vez mais a música em serviços de streaming é um fato inegável. Mas a sociedade ainda não está preparada para pagar por ela da mesma forma que, por exemplo, por serviços públicos ou comunicações móveis, não apenas em nosso país, mas também no Ocidente.

MP3 continua sendo o formato mais popular e mais suportado: os arquivos podem ser ouvidos em todos os dispositivos modernos e antigos. O formato que causa o menor número de problemas de reprodução.

1 COMENTÁRIO

Mais do que colegas artistas: bandas icônicas que nunca mudaram de linha

Faixas de rock que nunca mudaram sua formação - lista, fotos e nomes, fatos interessantes A história da música conhece um grande número de bandas de rock. Esta forma de fazer música é atualmente...

Parte 2. «A vida na estrada»: o que Brian Johnson fez em sua velhice

Brian Johnson: carreira e fim da carreira, novos projetos Após o fim de sua carreira, os músicos de rock ou se aposentam e dedicam mais tempo a si mesmos, ou tentam buscar novas...

A mesma canção de «Guarda-costas»: o significado vai mais fundo

Tudo sobre a canção "I Will Always Love You": história da criação, performance, sucesso Acontece frequentemente que entre artistas que interpretam a mesma canção, mas em estilos diferentes,...
Artigos relacionados

Valeriy Didyulya saiu sem música

A musa de Valeriy Didiuli: como a família do músico se separou Muitas vezes os casais de celebridades tentam não tornar públicas as discordâncias dentro da família. Mas, mais cedo ou mais tarde, as celebridades precisam...

O que eu diria é um rock 'n' roll chique de José Feliciano que vai animar qualquer um.

Músico José Feliciano - discografia do grande violonista, trabalho, prêmios Atualmente os músicos latino-americanos estão alcançando um novo nível: conquistam facilmente o palco mundial e adquirem...

Muddy Waters e Mick Jagger balançam o palco - a melhor colaboração na história do blues

Bluesmen Muddy Waters e Mick Jagger: Biografia, colaboração, desempenho conjunto As colaborações entre os músicos de rock não são um fenômeno novo. Os Beatles e Eric Clapton, Rainha e David.

A história de uma beleza de voz doce: Hope Sandoval

Tudo sobre a cantora Hope Sandoval: juventude, ascensão de estrelas e sucesso Às vezes os artistas underground não querem se tornar famosos porque as grandes gravadoras os encontram depois de um tempo...

Os Residentes - a banda de rock mais enigmática da história

Tudo sobre os Residentes: história, mística e estilo Há muitos músicos na indústria da música que se tornaram populares por sua originalidade. Estes artistas são geralmente...