Data:

Autor:
Categoria:

As 5 melhores apresentações ao vivo de Tim Buckley, o astro do folk que desapareceu cedo demais

Com a poesia introspectiva e a profundidade de Bob Dylan, mas com boa aparência e vocais virtuosos, Buckley foi aclamado como um jovem virtuoso autodidata com uma voz extraordinária e uma alma ferida, mas ainda assim bela...

Tim Buckley: biografia e melhores apresentações ao vivo

Nenhum músico folclórico da história nunca jogou seu violão surrado no banco do passageiro de, digamos, uma Ferrari. O gênero é, como disse um crítico, "a província dos entusiastas aflitos que se debruçam sobre uma pilha de desgraças em busca de algum tipo de júbilo". E um dos representantes mais marcantes desse gênero foi e ainda é Tim Buckley.

A maioria das músicas de seu álbum de estreia homônimo, lançado em 1966, foi escrita enquanto ele estudava no ensino médioincluindo "Luto em minha alma". Com essa inteligência emocional inata e um desejo sincero de usá-la constantemente, ele rapidamente chamou a atenção do público em geral e fez seu nome! Mas, infelizmente, ele nunca chegou ao Olimpo...

Com a poesia introspectiva e a profundidade de Bob Dylan, mas com boa aparência e vocais virtuosos, Buckley foi aclamado um jovem virtuoso autodidata com uma voz extraordinária e uma alma ferida, mas ainda assim bela... Sua infância foi comum, mas em 1966, com apenas 19 anos, ele entrou para o mundo da música com sua estreia homônima. Apesar das críticas mornas, ele mesmo não gostou. Tim ficou desapontado com sua primeira apresentação, mas, apesar disso, ela era muito promissora.

Tim Buckley
Tim Buckley

No artigo de hoje, decidimos prestar homenagem a esse homem brilhante e verdadeiramente interessante, e para lembrar 5 principais destaques de suas apresentações ao vivo. Mas, primeiro, um pouco de história...

O curto mas brilhante destino de um homem

Tim Buckley
Tim Buckley

Buckley cresceu cedo: ele se tornou pai logo no início de sua carreira musical: seu filho Jeff Buckley Ele viu seu pai apenas algumas vezes, mas no futuro ele também se tornaria um músico famoso e também deixaria este mundo mais cedo por uma trágica coincidência. Mas essa é outra história. Estamos voltando para a carreira de Tim

Tim Buckley

Tim deixou sua família para tráspara entrar no mundo da música, apenas alguns meses antes do nascimento de seu filho. Com cada nova gravação no período que se seguiu, Buckley gradualmente se tornou um ícone do underground. Com seu alcance de oitavas e entonação sutil, ele poderia ter tornado qualquer passagem de texto agradável ao ouvido, mas, em vez disso, ele agradou os fãs com a prosa dourada que compôs carinhosamente com seu co-escritor Larry Beckett.

"Sua voz era tão doce quanto mel derretendo em uma xícara de chá quente! Mas, junto com ela, derreteu sua própria alma sob o ataque da turbulência interior. Mas ele sempre usava sua tristeza como algo profundamente espiritual, algo do qual se podia extrair inspiração..." - escreveram os críticos.

Entretanto, a palavra-chave aqui é Subterrâneo. Nenhum de seus trabalhos estava destinado ao sucesso comercial. O destino da obscuridade se abateu sobre ele mais do que qualquer fracasso. Sua habilidade intransigente e seu vanguardismo estavam a um mundo de distância das ondas de rádio que eram necessárias se você quisesse algo além do sucesso underground.

Em algum momento, ele começou a se aventurar no campo do jazz, inspirado por pensadores visionários como Miles Davis. Os discos subsequentes foram complexo e afastou alguns de seus fãs. Ele também tomou a decisão comercialmente desastrosa de lançar "Lorca."Um álbum à beira de um frenesi criativo, junto com "Starsailor"e, quase simultaneamente, voltando ao estilo folk. Em vez de mostrar a diversidade, cada uma dessas obras diminuiu o sucesso da outra...

Tim Buckley
Tim Buckley

Depois disso, o público de Tim, que já era pequeno, diminuiu. Ele se casou com Judy Fern Brejo em abril de 1970 e adotou seu filho Taylor. A estabilidade do casamento lhe deu força e Buckley parecia pronto para abrir suas asas. No entanto, os três álbuns que se seguiram, Greetings from LA, Sefronia e Look at the Fool, assumiram um estilo soulful que confundiu muitos e desafiou ainda mais as fileiras cada vez menores de fãs...

Quando ele conseguiu esgotar os ingressos do show 1.800 assentos em Dallas, Texas, em junho de 1975, foi motivo de comemoração, mas, como sempre, com a graça celestial de Tim Buckley, o triunfo e a tragédia nunca estiveram distantes. Naquela noite, ele voltou para casa embriagado para a festa de despedida de sua esposa. Mais tarde naquela noite, Judy descobriu que Tim falecido... A causa foram as substâncias. Ele era apenas 28 anos de idade. Como seu gerente de turnê Bob Duffy diria mais tarde:

"Sua morte foi inesperada, mas ao mesmo tempo foi como assistir a um filme: foi seu final natural."

Tim Buckley
Tim Buckley

Agora ficamos com belos reinos dos sonhosEle é um homem que criou a partir de sua própria tristeza, infelizmente entrelaçada com seu próprio destino. Sua música, de alguma forma, contém tudo o que foi mencionado acima e, por isso, ele ainda está vivo em suas obras. Como ele mesmo disse na emocionante obra-prima "Once I Was": "Às vezes eu me pergunto, nem que seja por pouco tempo, será que você vai se lembrar de mim?"

"Eu já fui um soldado
E lutei por você em areias estrangeiras.
Eu já fui um caçador
E trouxe para casa um pouco de carne fresca para você.
Eu já fui um amante,
E eu o procurei por trás de seus olhos,
E em breve haverá mais
Alguém que lhe dirá que eu era apenas uma mentira.
E às vezes eu me pergunto:
Será que algum dia você se lembrará de mim?"

Os cinco melhores momentos ao vivo de Tim Buckley

Tim Buckley
Tim Buckley

A história de Tim Buckley é a história de um homem cheio de tristeza e zelo para criar. Infelizmente, ele não conseguiu realizar todo o seu potencial. No entanto, ele era ótimo como músico: bonito, emotivo, talentoso e com uma voz incrivelmente poderosa e cheia de alma...

Tim Buckley
Tim Buckley

De uma forma ou de outra, e Tim Buckley deu ao mundo um dos mais extensos catálogos da década de 1960 - do folk psicodélico ao jazz de vanguarda! Durante seu curto, mas influente 28 anos de idade O artista foi uma fonte de poesia e emoção, dando vida a tudo isso com seus vocais encantadores e sua maneira multifacetada de tocar. Aqui estão os 5 melhores equipe de arquivo do falecido artista, no qual ele tece alegria e tristeza, consolo e sofrimento por meio de palavras e brincadeiras durante suas apresentações ao vivo...

I'm Coming Home Again (1968)

O jovem Buckley emerge das nuvens de fumaça, hipnotizado pela interpretação de sua música "I'm Coming Home Again" (Estou voltando para casa novamente) 1968. Ele estica cada palavra, colocando as entonações junto com um violão forte e bongôs nítidos. Ele executa a música de forma belíssima, tocando com o tato, sem nunca abrir os olhos. Uma visão verdadeiramente hipnotizante...

Song to the Siren (1968)

Fechando os olhos novamente, Buckley apresenta outra performance hipnotizante com uma música "Song to the Siren" (Canção para a sereia). Ele se senta, balançando levemente ao som de uma ária acústica, e ainda assim é um espetáculo para ser visto, evocando um arrebatamento interior...

"Naveguei por muito tempo em oceanos desertos
Fiz o possível para sorrir
Enquanto seus olhos e dedos cantam
Não me atraiu para sua ilha...".

I Woke Up (1970)

Afastando-se do folk simplista que consolidou sua fama, a apresentação de Buckley em 1970 "I Woke Up" (Eu acordei) inclui algumas das texturas de jazz que ele começou a adicionar ao seu trabalho durante esse período...

"Agora o sol está pousado em meu braço,
Oh, onde você está?
Caminhando ao sabor do vento, sobrevoo a margem da cidade
Para as colinas onde eu ouço
O toque dos sinos do porto..."

Dolphins (1974)

Apresentando sua música "Golfinhos" ao vivo no Old Grey Whistle Test em 1974, Buckley eletrifica seu som, acrescentando as entonações espiritualizadas que caracterizariam seu trabalho posterior. Seus vocais mudam para um barítono profundo e sujo para demonstrar emoção, dando à música uma nota dolorosa...

Honey Man (1974)

Buckley entretém com uma música "Honey Man" durante uma apresentação ao vivo no Old Grey Whistle Test. Sua música groovy é empolgante e gutural! É difícil se distanciar desse vídeo...

"E quando a abelha está dentro da colméia,
Você gritará no meio do amor.
Comprarei tudo o que puder para você,
Esse homem meloso vai pegá-lo novamente;
Mas seus olhinhos nunca brilham,
Eu queria que eu fosse tão legal com você,
Porque então seu amor simplesmente não importa..."

O rock russo-armênio conquista corações: MANAPART lança o novo álbum "Red"

A banda MANAPART apresentou o novo álbum "Red". Por que vale a pena ouvi-lo? O rock é uma coisa incrível! Ele pode ser "glamouroso", sulista, sinfônico.... E até russo-armênio! E se...

"Mulher bonita com um segredo": os segredos de Debbie Harry, a "Blondie", que ela escondeu dos fãs por muito tempo

Debbie Harry: fatos sobre sua vida pessoal e carreira Infelizmente, Debbie Harry é uma raridade: um ícone da cena punk sobrevivente, com 78 anos de idade, cuja carreira se desenvolveu durante a era da...

Yuri Antonov - The Hardest Idol: Antics and Scandals That Made Producers Walk Away From the Master (O Ídolo Mais Difícil: Travessuras e Escândalos que Fizeram os Produtores se Afastarem do Mestre)

Yuri Antonov: caráter, escândalos, travessuras Recentemente, o produtor Sergey Lavrov disse que Yuri Antonov é o maestro mais difícil, caprichoso e rebelde da variedade doméstica, com quem ele...
Artigos em destaque

"Mulher bonita com um segredo": os segredos de Debbie Harry, a "Blondie", que ela escondeu dos fãs por muito tempo

Debbie Harry: fatos sobre sua vida pessoal e carreira Infelizmente, Debbie Harry é uma raridade: um ícone da cena punk sobrevivente, com 78 anos de idade, cuja carreira se desenvolveu durante a era da...

Yuri Antonov - The Hardest Idol: Antics and Scandals That Made Producers Walk Away From the Master (O Ídolo Mais Difícil: Travessuras e Escândalos que Fizeram os Produtores se Afastarem do Mestre)

Yuri Antonov: caráter, escândalos, travessuras Recentemente, o produtor Sergey Lavrov disse que Yuri Antonov é o maestro mais difícil, caprichoso e rebelde da variedade doméstica, com quem ele...

Ekaterina Batrakova: "Uma boa metade dos músicos acadêmicos ouve bom rock"

Ekaterina Batrakova - entrevista: sobre a carreira e os planos para o futuro O correspondente da Fuzz Music conversou com a cantora de rock Katya Batrakova, cujas músicas atingiram repetidamente as paradas de sucesso...

Pelo que Lolita Milyavskaya é grata a Pugacheva

Lolita Milyavskaya e Alla Pugacheva: amizade, relacionamento, fotos Chamar Lolita e Alla Borisovna de namoradas - de alguma forma, a linguagem não muda. Que o relacionamento entre elas seja sempre e...

Yuri Antonov: "Zhiguli quebrado e um apartamento em Vykhino" - Em que o artista gastou seus milhões e quanto ele está pronto para se apresentar hoje

Yuri Antonov: royalties, riqueza, fortuna Iates, casas, carros de classe executiva... Sim, a vida doce dos artistas de hoje só pode ser invejada, porque eles são literalmente como queijo em...

"Nos passos de sua mãe": Olga Rozhdestvenskaya - como ela vive e se parece hoje

Olga Rozhdestvenskaya: biografia, carreira, fotos e fatos Na URSS, havia muitas cantoras talentosas - com uma bela voz, dicção, modo de apresentação e, de fato, repertório. Quantas lindas...

Lolita Milyavskaya: "A pátria me traiu" - Diva de 60 anos sobre a filha, o amor por Zelensky e os jovens pretendentes

Lolita Milyavskaya: vida pessoal, filha, carreira, conflito com a Ucrânia Lolita Milyavskaya - uma das divas mais brilhantes da variedade nacional! E uma das pessoas mais interessantes da...

Artistas que os russos respeitam e dos quais se envergonham em 2023

Os artistas mais respeitados e mais odiados da Rússia em 2023 Nos últimos dois anos, muita coisa mudou no show business nacional. Se antes do início do SWO as paradas de sucesso eram dominadas por...

O que é o irmão mais novo do SHAMAN, ou o golpe de relações públicas que funcionou: A história do Neverlove

Banda Neverlove: história, vocalista Yaroslav Stepanov, faixas e clipes Talvez você já tenha visto um vídeo no YouTube (e, a propósito, está longe de ser um), que...